Paulo Rocha (1935-2012)

Poucas coisas no cinema terão a qualidade gráfica de Verdes Anos (1963). Nunca a violência e a impossiblidade de regresso foram filmadas de forma tão esclarecedora. A melhor ilustração está seguramente na sequência final que aqui deixo, juntando-me, com humildade, à homenagem que nos merece um dos nossos artistas mais extraordinários.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: