Cibernética de segunda ordem (mentes e máquinas #5)

Diagrama de Gregory Bateson e de Margaret Mead, 1973

Como poderemos nós fugir a este plano de segunda ordem que faz modelar toda a possibilidade de conhecer? Qualquer teoria da mente deve ter em linha de conta a mente que a faz. Aquele que observa e descreve, participa, participa da descrição. A teoria deve incluí-lo na descrição. Observação-participante. Antropologia.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: