William Carlos Williams (O carrinho de mão vermelho)

495px-William_Carlos_Williams_passport_photograph_1921

The red wheelbarrow é seguramente um dos poemas mais famosos da poesia norte-americana. Estranho e irreprensível poema onde nada se passa e tudo se passa, onde o contexto é suprimido subitamente, como se tivéssemos interrompido uma conversa ou surpreendido uma conversa, e dela, do seu sentido prático e eloquente, retirássemos um sentido metafísico, enigmático, infranqueável. Aqui fica a minha tradução desse belíssimo poema publicado originalmente em Spring and all, livro de 1923. Assume-se aqui o título que lhe é atribuído vulgarmente; seja como for, o poema aparece, em Spring and all, sem título, com o numeral «XXII». William Carlos Williams morreu, faz hoje, 50 anos (4 de Março de 2013).

O CARRINHO DE MÃO VERMELHO

tanta coisa depende
de um

carrinho de mão
vermelho

vítreo de água
da chuva

ao lado das galinhas
brancas.

[Retirado de The collected poems of William Carlos Williams, volume I, 1909-1939, Nova Iorque, New Directions, 1991, p. 224]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: