Monthly Archives: Julho 2014

Afirmação de um mundo: sobre poesia e identidade ameaçada

Para a minha querida amiga Inez A montante está a identidade da poesia, não a identidade de um povo. De que país faz parte aquele que talvez não seja cidadão de nenhuma comunidade, como o filósofo de Wittgenstein? Sempre acreditei que escrever poesia era desafiar o sentido e o som do mundo num único gesto […]

O príncipe da imaginação

Vejo as mãos tocando a transparência do vidro. Noite. Vejo a luz fóssil do jogo que não saberei reconstruir. Jogo de dedos, tácteis sinais e a memória de os saber, a eles – filhos – ausentes, de ter esquecido o movimento, a veloz acrobacia do tempo que me diz a desatenção. Afortunado, oficiante do invisível, […]

O pequeno Hamlet

O Tomás, o meu filho, brinca na velha ponte abandonada junto à casa onde habito agora. Gosto muito deste filho cheio de consequentes silêncios, reservas que lhe vêm do desamparo da infância – de toda a infância – mas que nele se sublinham como se um veio nocturno se acercasse das coisas que interroga. A […]

Nina Cassian: uma ficção

Cassian escrevia sátiras cujo recorte político não escapava aos censores. Durante esse tempo breve em que visitava o outro lado do mundo (aí onde haveria de viver numa discreta condição de remorso), um amigo fora capturado pela polícia do já decrépito ditador. As páginas do diário continham transcrições dos versos onde a mordacidade deveria ter […]