Extinção

Ralph Eugene Meatyard

Ralph Eugene Meatyard

Estão à minha frente,
num mutismo que faz desabar
as horas, ali, onde a duração esplende
em rostos de circunstância.
Eu regresso a velhos temas,
a invisibilidade com que se diz
uma fotografia de infância,
uma árvore destruída,
espectro ou desenho
do que não podemos saber,
o terreno fértil dos símbolos
que crescem à nossa volta,
que não cessam de crescer,
finos cabelos de deuses colando-se
às paredes da linguagem,
o eco da minha voz esmorecendo
em entusiasmos que são despedidas.
Tudo é util e seguro,
tudo é incerto depois.
A reciprocidade
faz nutrir a violência
que surge na linha do horizonte.
A reciprocidade engorda a violência.
Com o tempo a vida desaba,
o mundo regressa por influência
de sofrimentos desabridos,
eternidades que a juventude
não desmente, e o pavor
de me saber mortal,
de procurar por entre dedos
a fria extinção.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: